O INVERNO CHEGOU E MINHA ALERGIA TAMBÉM. QUAIS OS CUIDADOS QUE DEVO TER COM OS MEUS OLHOS?

Cuidados com os olhos, Dicas
15 de junho de 2016

As alergias oculares geram bastante incômodo, e em alguns casos tendem a piorar com a chegada do inverno.

Mais conhecida cientificamente como conjuntivite alérgica – atenção para não confundir com a conjuntivite viral, que é contagiosa – a alergia atinge pessoas de diversas idades, e geralmente é ocasionada pelo contato com pólen, mofo ou poeira, podendo ainda estar associada a doenças sistêmicas pré-existentes.

Os principais sintomas se apresentam da seguinte maneira: coceira, lacrimejamento, secreção mucosa, olho vermelho, queimação, sensibilidade à luz e inchaço na região.

No inverno, a alergia tende a piorar em pessoas sensíveis ao mofo ou poeira, sendo provocada a partir de alguns “gatilhos”, como:
• Ácaros: Insetos microscópicos que florescem em colchões e roupas de cama, liberando algumas partículas que se espalham pelo ar;
• Mofo: Fungo que prospera em áreas úmidas liberando esporos no ar, podendo desencadear sintomas alérgicos;
• Pêlos de animais, fumaça de cigarro, perfumes, produtos químicos, entre outros.

Sabendo-se que a alergia ocular é um problema que afeta em torno de 20% da população, e que em geral ela acompanha outras doenças como rinite e asma, e o melhor a se fazer é evitar que ela ocorra. Para isso orientamos algumas medidas preventivas que devem ser tomadas periodicamente, como:
• Utilizar travesseiros de látex ou antialérgicos;
• Utilizar protetores de colchão;
• Manter o ambiente livre de pó, evitando a proliferação de ácaros;
• Quando possível, eliminar carpetes, tapetes e cortinas;
• Lavar roupas e lençóis em água morna, com temperatura acima de 56°C, pelo menos 2 vezes por mês;
• Evitar bichos de pelúcia;
• Reduzir a umidade do ambiente, mantendo as janelas abertas para possibilitar a exposição solar;
• Evitar coçar os olhos;
• Higienizar as mãos com frequência.

Outro ponto que deve ser considerado são as complicações que podem acontecer decorrentes da conjuntivite alérgica. Essas podem ocorrer de forma simples ou até causar complicações mais graves como: ceratites ou úlceras. Além disso o trauma ocular gerado pela coceira intensa pode ocasionar o agravamento da ceratocone, ou mesmo o seu desenvolvimento em pacientes que tenham predisposição genética para tal, podendo levar a uma baixa de visão permanente.

Quando os sintomas se tornam mais intensos, é importante realizar uma avaliação oftalmológica para que seja orientado o tratamento adequado da alergia, que em geral é feito com o uso de colírios lubrificantes, antialérgicos e compressas geladas, e em alguns casos é necessário o uso de corticóides ou antialérgicos orais.

Caso apresente os sinais e sintomas relacionados à conjuntivite alérgica, procure atendimento médico oftalmológico e tire suas dúvidas.

Responsável: DR. LUIS HENRIQUE LOPES LIRA – CRM 151.991


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*