Hipertensão ocular e glaucoma

Doenças Oculares
16 de abril de 2018

Por

hipertensão ocular

É comum a confusão entre glaucoma e hipertensão ocular. Frequentemente são mencionados como sinônimos, mas na verdade, são condições diferentes. Hipertensão ocular, como o próprio nome diz, é a pressão elevada nos olhos. Normalmente, a pressão ocular não ultrapassa o valor de 21mmHg. Quando ultrapassa, estamos diante de pressão alta nos olhos ou hipertensão ocular. Ter a pressão elevada nos olhos não significa que você tenha glaucoma e sim que tem risco de um dia desenvolver a doença.

Mas e o glaucoma? o que é? Não é pressão alta nos olhos? Não, glaucoma não é pressão alta nos olhos.

Glaucoma é uma doença que acomete o nervo da visão e pode ser independente da pressão alta nos olhos. No glaucoma, ocorre a progressiva morte das fibras que formam o nervo responsável pela visão. Se não for diagnosticado e tratado, pode evoluir para cegueira.

hipertensão ocular

Mas então por que há confusão entre glaucoma e hipertensão ocular?

Porque um dos principais fatores que leva ao glaucoma é a pressão alta nos olhos. Sabe-se que quanto mais elevada e descontrolada estiver a pressão ocular, maior o risco de se desenvolver glaucoma e de evoluir para cegueira.

Entretanto, não podemos colocar essas duas condições distintas como sinônimos pois há indivíduos que têm glaucoma mesmo tendo a pressão ocular normal, abaixo de 21mmHg.  Há ainda, indivíduos que têm a pressão elevada, acima de 21mmHg e não desenvolvem glaucoma

Diversos fatores podem definir se um portador de hipertensão ocular irá ou não desenvolver glaucoma. Entre esses fatores, destacam-se a espessura corneana, presença de miopia elevada, predisposição genética, idade mais avançada, afrodescendentes, histórico de traumatismo ocular, uso de medicamentos oculares ou sistêmicos principalmente os derivados de corticoide.

Assim, como a hipertensão ocular é o principal fator relacionado ao desenvolvimento do glaucoma, reduzir seus níveis constitui o principal pilar de tratamento e controle da doença.

Por isso, visitar seu oftalmologista sempre que ele solicitar é de fundamental importância para que a pressão ocular seja aferida e o controle terapêutico estabelecido.

Responsável: Dra. Ana Raiza | CRM 104.173

Confira essa e muitas outras dicas na nossa página do Facebook.

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*