Cuidado com os olhos no carnaval!

07 de fevereiro de 2019

Com a chegada do carnaval, é comum ver o aumento das vendas de produtos de beleza e adereços extravagantes para curtirem as festas

A maioria das pessoas, tem como costume utilizar de glitters e lentes de contato coloridas para combinarem com suas fantasias e abadás nestes dias.

O que muitos ainda não sabem é que as grandes aglomerações de pessoas e as brincadeiras com sprays de espumas e serpentinas podem apresentar riscos à saúde dos olhos, possibilitando irritações, alergias e até conjuntivites

Maquiagens regadas a glitter também são um agente preocupante, uma vez que esse item em contato com a parte interna dos olhos pode gerar irritação intensa. Com o desconforto, a ação mais instintiva é coçar os olhos fortemente, o que pode acarretar a retirada do epitélio da córnea, causando dores e possíveis complicações

Para evitar este tipo de problema, recomenda-se a não utilização de maquiagens com glitters próximas aos olhos e, caso haja contato, lavá-los com água limpa e soro fisiológico imediatamente.

Outro fator que merece atenção especial nessa época do ano são as famosas e queridinhas lentes de contato coloridas, muitas vezes utilizadas sem prescrição médica e os devidos testes de adaptação. Elas podem gerar irritações graves nos olhos por excesso de uso (diminui a oxigenação corneana) ou por ser um corpo totalmente estranho nos olhos (fator abrasivo que diminui a defesa do olho às infecções bacterianas, fúngicas ou por amebas).

É claro que estes fatores ocorrem, também, com outros tipos de lente de contato, daí o cuidado em conservá-las em líquido apropriado para desinfecção e manutenção das lentes, evitando nadar ou dormir com elas se faz necessário.

Atualmente, recomenda-se, avaliação oftalmológica, lentes a de descarte diário, pela facilidade no manuseio, além da diminuição de complicações.

Outro fator preocupante nas grandes aglomerações de pessoas, típicas em festas como o Carnaval, é a disseminação de vírus, entre eles, os causadores da conjuntivite viral, que por um simples contato das mãos contaminadas nos olhos a transmissão da doença acontece. Por isso, é necessário que se evite coçar os olhos e que efetue a higienização constante das mãos. Assim, diminuindo as chances de adquirir conjuntivite viral.

Já as brincadeiras com spray de espuma são, frequentemente, uma das causadoras da conjuntivite química, uma vez que, tanto a espuma quanto os aerossóis da lata de spray, causam irritação da conjuntiva ocular. Quando houver contato direto com sprays e sentir irritação ocular, é importante lavar, rapidamente, os olhos com água limpa ou soro fisiológico e observar se os sintomas melhoram, em no máximo 30 minutos. Após esse tempo, se os sintomas persistirem, passar por uma avaliação com um oftalmologista, para analisar se há alguma lesão ocular é importante.

Contudo, curtir o carnaval é bom e faz parte, porém prevenir os olhos de possíveis complicações é essencial.

Fique atento as dicas e, se precisar, consulte um oftalmologista!


DIABETES: ALTERAÇÕES OFTALMOLÓGICAS, CONTROLE E TRATAMENTO DA RETINOPATIA DIABÉTICA

09 de novembro de 2018

DIABETES: ALTERAÇÕES OFTALMOLÓGICAS, CONTROLE E TRATAMENTO DA RETINOPATIA DIABÉTICA

O percentual de brasileiros com diabetes cresceu 61,8% entre 2006 e 2016, passando de 5,5% para 8,9%. Tal fato é alarmante, uma vez que diabetes pode levar a inúmeros problemas à saúde da população, dentre estes, alterações oftalmológicas.

A concentração elevada de glicose no sangue predispõe a inchaço dos tecidos, má perfusão sanguínea e aumento do risco de infecções. Desta maneira, algumas das alterações mais comuns que podemos encontrar nos olhos, decorrentes do controle inadequado do diabetes, são:

– Alterações corneanas, com redução de sensibilidade e com úlceras recorrentes;

– Alterações neurológicas, com alteração de nervo óptico e de demais nervos cranianos envolvidos na sensibilidade e motilidade oculares;

– Alterações do cristalino, com mudança de seu poder óptico conforme varia a glicemia ao longo do dia, ou até mesmo o desenvolvimento de catarata;

– Alterações na íris, reduzindo a capacidade de ajuste pupilar quando nos expomos a ambientes mais ou menos iluminados;

– Alterações retinianas, com inchaço da retina, sangramentos retinianos ou até mesmo descolamento de retina em casos mais avançados.

O controle glicêmico através de dieta, de exercício físico e de medicações deve ser intensivo e muito bem ajustado pelo médico clínico ou endocrinologista, uma vez que a retinopatia diabética mal controlada é causa importante de perda de visão irreversível. Por esse risco, é essencial a realização de exame anual de fundo de olho para avaliar o controle do diabetes em fases iniciais, sendo que esse intervalo de repetição pode ser reduzido quando o acometimento retiniano se torna mais avançado.

Quando a retinopatia diabética avança, existem algumas opções de tratamento que podem ser utilizadas:

1) A fotocoagulação retiniana a laser, que é muito importante porque pode minimizar os prejuízos gerados por áreas doentes da retina ou até mesmo impedir o vazamento de líquido por microaneurismas retinianos.

2) A injeção de medicação dentro do olho pode se fazer necessária quando surge o inchaço de retina na região responsável pela visão central, a mácula. Essa medicação possibilita que o líquido que gera o inchaço retiniano seja reabsorvido.

3) A cirurgia chamada de vitrectomia posterior pode ser necessária em casos extremos, com acometimento retiniano mais grave, em que ocorra descolamento de retina ou o sangramento vítreo.

Como podemos ver, as implicações de um diabetes mal controlado podem ser muito graves. Por estes motivos, a boa aderência ao tratamento e uma atenção multidisciplinar se fazem necessários. O acompanhamento regular com oftalmologista é essencial para prevenção e tratamento de lesões oculares que não produzem sintomas em fases iniciais. Consulte seu médico oftalmologista para obter a melhor assistência possível.

Responsável: Nagiton Bou Ghosn | CRM: 150.850


ALTERAÇÕES OCULARES DURANTE A GESTAÇÃO

11 de julho de 2018
ALTERAÇÕES OCULARES DURANTE A GESTAÇÃO

A gravidez está associada a diversas mudanças envolvendo múltiplos órgãos, incluindo os olhos. Isso deve-se principalmente a variações hormonais. Entre os problemas oculares mais comuns durante as gestações estão as alterações fisiológicas como:

Leia mais…


Os principais problemas de visão que afetam a qualidade de vida dos idosos

04 de julho de 2018
Os principais problemas de visão que afetam a qualidade de vida dos idosos

A perda da visão é uma das causas mais incapacitantes para o ser humano. Apesar de sua alta prevalência, a maioria dos idosos não refere queixa da visão por considerarem um problema típico da idade avançada. Dessa forma, o déficit visual em idosos torna-se pouco detectado na prática clínica. As principais causas da perda visual nos idosos são:

Leia mais…


Ambliopia

23 de maio de 2018
Ambliopia

A ambliopia (ou olho preguiçoso) ocorre em 2% da população geral e é a causa mais comum de baixa visão na infância. Ela acontece por estimulação visual anormal. Crianças estão suscetíveis entre nascimento até 7-8 anos de idade. Quanto mais precoce o estimulo anormal, pior o déficit visual, sendo o período mais crítico entre 1 semana e 2 meses de vida. As causas são: estrabismo, anisometropia (graus muito diferentes entre os olhos), catarata, opacidade de córnea.

Leia mais…


CIRURGIA REFRATIVA INDICAÇÕES E TÉCNICAS DISPONÍVEIS HOJE

16 de maio de 2018
Cirurgia Refrativa

A cirurgia refrativa é uma cirurgia no qual através de laser – excimer laser –   elimina e/ou diminui os erros refrativos – miopia, astigmatismo e/ou hipermetropia – de modo a reduzir a dependência dos óculos ou lentes de contato.

Ela consiste na modificação da curvatura da córnea, no qual o laser remodela um novo formato da superfície corneana: mais plano para quem tem miopia, mais curvo para quem tem hipermetropia ou mais regular no caso de astigmatismo.

Leia mais…


Qual a importância do exame oftalmológico na infância e qual idade da primeira consulta?

09 de maio de 2018
oftalmológico

Segundo a Sociedade Brasileira de Oftalmologia Pediátrica, o primeiro exame oftalmológico deve ser realizado ainda no berçário, onde é realizado pelo pediatra/neonatologista, e consiste no teste do reflexo vermelho (teste do olhinho). Com esse teste é possível verificar se há alguma obstrução do eixo visual, evidenciando alguma patologia como catarata congênita, glaucoma congênito ou até mesmo a presença de tumores oculares. Ainda no berçário é possível verificar alterações de desenvolvimento ocular mais evidentes. Caso o teste do olhinho seja considerado alterado, o pediatra deverá realizar o encaminhamento ao oftalmopediatra o mais breve possível, a fim de evitar futuras alterações na visão e na saúde geral do paciente.

Leia mais…


Sinais de alerta nas urgências oftalmológicas

25 de abril de 2018
Sinais de alerta nas urgências oftalmológicas

Todos nós já passamos por situações em que gostaríamos de ter um oftalmologista ao lado imediatamente. Quem nunca acordou com olho vermelho e secreção ou então sentiu entrar um cisco no olho que não quer sair de jeito nenhum? São esses os motivos que levam muitas pessoas todos os dias a buscar prontos-socorros oftalmológicos ou consultas de urgência em clínicas oculares, tornando a Oftalmologia uma das especialidades médicas mais procuradas para pronto atendimento.

Leia mais…


Hipertensão ocular e glaucoma

16 de abril de 2018
hipertensão ocular

É comum a confusão entre glaucoma e hipertensão ocular. Frequentemente são mencionados como sinônimos, mas na verdade, são condições diferentes. Hipertensão ocular, como o próprio nome diz, é a pressão elevada nos olhos. Normalmente, a pressão ocular não ultrapassa o valor de 21mmHg. Quando ultrapassa, estamos diante de pressão alta nos olhos ou hipertensão ocular. Ter a pressão elevada nos olhos não significa que você tenha glaucoma e sim que tem risco de um dia desenvolver a doença.

Leia mais…


Deficiência Visual na Infância

03 de abril de 2018
Deficiência Visual na infância

A visão é um dos cinco sentidos do corpo humano e é a que nos possibilita de ver e de aprender sobre o mundo ao nosso redor, através da identificação das pessoas pelo rosto e as sutilezas de suas expressões, bem como a diversidade das coisas e suas formas.

Existem algumas doenças  que geram deficiência visual desde a infância e que devem ter atenção imediata dos pais desde o início, como: estrabismo, catarata congênita, glaucoma congênito, retinopatia da prematuridade, retinose pigmentar, coloboma, hipoplasia do nervo óptico.

Leia mais…